Katy Cardoso

Boa Alimentação!

Gelatina: benefícios não só para a dieta!

gelatinas-sobremesa-gelatinas-coloridas-1360776065382_615x300

Saiba como esse pozinho pode ajudar o seu organismo!

Por Dr. Daniela Avila Hueb Nutrólogo – CRM 96027/SP

Ela ganhou a fama de ser o alimento número 1 quando o assunto é dieta. Saborosa, refrescante, hipocalórica, que ajuda a combater aquela vontade aguda por doces e guloseimas e ainda, de baixo custo e fácil preparação. Sim, a gelatina é tudo isso. Mas se engana quem pensa que ela deve estar inserida apenas no cardápio das pessoas preocupadas com os ponteiros da balança. Na verdade, os benefícios dessa delícia são bem maiores do que possam imaginar. Duvidam? Pois então vamos desmistificar o que há por trás daquele simples pozinho.

A gelatina é composta praticamente de aminoácidos (proteínas), que ajudam na síntese e na renovação do colágeno. Dos indispensáveis para o organismo, dez precisam ser adquiridos através da alimentação porque o nosso metabolismo não consegue sintetizá-los. Para ter uma idéia da importância da gelatina, ela possui nove tipos deles, faltando apenas o triptofano (precursor da serotonina), o neurotransmissor que nos deixa feliz.

Se consumida regularmente, ela auxilia na redução dos níveis de colesterol no sangue, triglicérides e controla a glicemia. Por ser rica em proteína, ela fortalece os ossos e previne o organismo de doenças como a osteoporose. Ela promove também uma maior resistência física aos desportistas. E mais: colabora para a manutenção da juventude, deixando cabelo, unhas e pele mais bonitos. Ainda não está convencido do poder da gelatina? Então dá uma olhadinha nos detalhes abaixo.

Por que ela faz bem?
Por ser principal fonte de colágeno substância que tem como função impedir a deformação dos tecidos que fazem parte da estrutura de ossos, pele, cartilagens e tendões , a gelatina tem um papel importante na prevenção e no tratamento de doenças, como artrose e osteoporose. Também é bastante utilizada na recuperação de pessoas submetidas a procedimentos cirúrgicos, pois é um excelente agente cicatrizante. O ideal é ingerir dois potes por dia ou bater no liquidificador uma colher de sopa de gelatina em pó com um pote de iogurte. Pronto, sua manutenção de colágeno está garantida!

Composição:
A matéria-prima da gelatina é o colágeno, geralmente extraído da pele, tendões, ossos e cartilagens dos mamíferos. Embora os seres humanos sejam mamíferos, não se obtêm colágenos deles. Ideal nas dietas: Um dos benefícios dessa delícia é que ela é isenta de gordura. Das variadas marcas disponíveis no mercado, cada 100g fornecem 380 kcal, estas vindas praticamente dos carboidratos. A mesma quantidade, mas na versão diet , além de ser isenta de carboidratos, fornece aproximadamente 7 kcal, obtidas exclusivamente das proteínas. A diet é isenta de carboidratos. Por isso, se você está de regime opte sempre pela versão sem açúcar. No entanto, é interessante variar os sabores para não enjoar. Outra vantagem dessa delícia é que ela retarda o esvaziamento do estômago, deixando a pessoa saciada e hidratada por mais tempo. E ainda: dificulta a absorção dos carboidratos e das gorduras pelo estômago e pelos intestinos.

Pele mais firme
Você já deve ter ouvido falar que, quando envelhecemos ou emagrecemos, nossa pele vai perdendo elasticidade e firmeza. Isso acontece por conta do enfraquecimento gradativo do colágeno, que exerce essa função estrutural de sustentação e preenchimento da pele. Com uma dieta rica em proteínas (lembre-se, gelatina é proteínas), atividade física e pouca exposição solar é possível melhorar a saúde, como fortalecer unhas, ter um cabelo brilhante e a pele mais saudável. No entanto, é importante salientar: não existem milagres na área da saúde! Ou seja, não basta consumir grande quantidade de gelatina diariamente sem mudar o estilo de vida precário. Portanto, não esperem pelo milagre da gelatina que não vai funcionar.

Na mesa
Por apresentar facilidade em ser convertida para a forma sólida e líquida por meio do aquecimento, ela torna-se um produto ideal para fazer ou acompanhar sobremesas como gomas, caramelos, iogurtes, mousses, tortas, bolos e sorvetes. Além de ganhar na praticidade em prepará-la, a gelatina pode dar um charme todo especial ao doce por ser colorida e se adaptar facilmente a qualquer formato. Isso, claro, sem contar de todos os benefícios à sua saúde já citados anteriormente.

Em cápsulas

Hoje já é possível encontrar, em farmácias especializadas, as gelatinas em cápsulas. Elas apresentam os mesmos benefícios da gelatina em pó, porém, as versões em cápsulas são mais eficientes para a formação de colágeno por serem pura e sem adição de corantes. Quanto à absorção, as do tipo em pó são absorvidas em maior velocidade. A desvantagem da encapsulada é que para se obter 10g (dose mínima diária) é necessária a ingestão de 20 cápsulas, enquanto na versão em pó, a mesma quantidade é obtida em apenas uma colher de sobremesa. Sempre as utilize com a indicação de um profissional de saúde capacitado, pois a dose pode variar de acordo com a necessidade de cada organismo.

Não existe contra-indicação para o consumo da gelatina, mas os diabéticos devem ter atenção especial para não consumirem as versões não diet . Já para os alérgicos a determinados componentes, o ideal é sempre consultar um especialista antes de consumi-la. O mesmo é recomendado para as pessoas que sofrem de insuficiência renal, para evitar sobrecargas renais.

Garantir a saúde e a beleza do nosso corpo é uma tarefa que requer mais do que o consumo a determinados alimentos. É, sobretudo, a combinação de práticas saudáveis adotadas no nosso dia-a-dia, como alimentação equilibrada, prática de atividades físicas, uso de protetor solar e hidratante e evitar hábitos prejudiciais à saúde como consumir cigarros, drogas e bebidas alcoólicas. Devemos sempre partir da premissa de que só quem ama é que cuida de verdade. Portanto, ame-se e seja feliz!

Perfeito! Muito Interessante!



Aproveite o sabor e os nutrientes de 28 alimentos do outono!

2269821-8409-rec

O outono chegou e, com ele, os dias se tornam de clima ameno e à noite dá aquele friozinho. Com a mudança da estação, entra uma nova safra de verduras, legumes e frutas – aliás, a estação é considerada a das frutas, devido à grande variedade encontrada nesta época.

A safra nada mais é do que o período em que o alimento é mais produzido e quando ele é mais rico nutricionalmente. “Com o desenvolvimento de novas tecnologias, hoje é possível encontrar alimentos fora de sua época ou estação, mas vale lembrar que eles são inferiores do ponto de vista nutricional, apresentam preços mais elevados e geralmente contêm mais agrotóxicos”, afirma a nutricionista Alessandra Paula Nunes, mestre em ciências aplicadas à cardiologia, da Clínica Bem Nutrir, de Santo André.

Veja a seguir uma lista de 28 alimentos da safra elaborada a pedido do site Terra pelas seguintes especialistas: Alessandra Paula Nunes; Paula Riccioppo, nutricionista da clínica Be Healthy, no Rio de Janeiro; e Polliana Neves de Sá, nutricionista do Spa Posse do Corpo, também no Rio de Janeiro.

Abacate: rico em gorduras monoinsaturadas e fibras. Ajuda a controlar o colesterol, melhora o sistema circulatório e a pele. Contém ácido fólico, que auxilia na prevenção de efeitos congênitos (que nascem com a pessoa), e potássio, indicado para inchaços, fadiga, depressão, problemas cardíacos e derrames.

Abobrinha: encontrada de março a maio, é fonte de vitaminas do complexo B e possui poucas calorias. Contém também minerais como fósforo, cálcio e ferro. (mais…)



Dengue!

Gripe ou dengue: você reconhece as diferenças?

Entender os sintomas ajuda a excluir a possibilidade de uma ou outra doença.

Os dados reforçam que a dengue é um assunto sério: de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a dengue é a doença tropical que se espalha mais rapidamente pelo mundo, sendo que 50 milhões de pessoas hoje já estão infectadas em todos os continentes. No Brasil, o Ministério da Saúde aponta que só nos primeiros três meses do ano foram registrados 714.226 casos de dengue, sendo que 83.768 já foram descartados. Além disso, já foram divulgadas mais 130 mortes pela doença esse ano.

Confira os sintomas da Dengue

O tempo médio do ciclo é de 5 a 6 dias, e o intervalo entre a picada e a manifestação da doença chama-se período de incubação. É só depois desse período que os sintomas aparecem. Geralmente os sintomas se manifestam a partir do 3° dia depois da picada do mosquitos.

Dengue Clássica

Febre alta com início súbito.
Forte dor de cabeça.
Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos.
Perda do paladar e apetite.
Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, principalmente no tórax e membros superiores.
Náuseas e vômitos·
Tonturas.
Extremo cansaço.
Moleza e dor no corpo.
Muitas dores nos ossos e articulações.

Dengue hemorrágica

Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue comum. A diferença ocorre quando acaba a febre e começam a surgir os sinais de alerta:

Dores abdominais fortes e contínuas.
Vômitos persistentes.
Pele pálida, fria e úmida.
Sangramento pelo nariz, boca e gengivas.
Manchas vermelhas na pele.
Sonolência, agitação e confusão mental.
Sede excessiva e boca seca.
Pulso rápido e fraco.
Dificuldade respiratória.
Perda de consciência.

sintomas

Na dengue hemorrágica, o quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais de insuficiência circulatória e choque, podendo levar a pessoa à morte em até 24 horas. De acordo com estatísticas do Ministério da Saúde, cerca de 5% das pessoas com dengue hemorrágica morrem.

O doente pode apresentar sintomas como febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, náuseas ou até mesmo não apresentar qualquer sintoma. O aparecimento de manchas vermelhas na pele, sangramentos (nariz, gengivas), dor abdominal intensa e contínua e vômitos persistentes podem indicar a evolução para dengue hemorrágica. Esse é um quadro grave que necessita de imediata atenção médica, pois pode ser fatal.

Gente, é importante ressaltar que muitos casos de dengue são descobertos e tratados tardiamente pelas semelhanças que a doença possui com a gripe, deixando o paciente menos preocupado em encontrar um tratamento adequado. Há situações também em que a pessoa pode desconfiar de dengue, mas que uma simples análise dos sintomas pode eliminar essa suspeita. O certo é procurar um médico!



Xô queda de cabelo e unhas fracas: Conheça a Biotina!

QuedaDeCabelo

Conhecida como Vitamina B7 ou H, a Biotina é uma Vitamina do Complexo B produzida no intestino pelas bactérias e obtida por meio da alimentação – como o leite, a cebola, cenoura e gema de ovo. É hidrossolúvel (ou seja, é absorvida pelo intestino e levada aos tecidos através da circulação) e está diretamente relacionada a saúde dos nossos cabelos, unhas e pele.

Aliada a uma dieta correta, a Biotina acelera a perda de peso pelos seus efeitos claros sobre o processo metabólico. Ela processa praticamente todos os tipos de alimento que você ingere, incluindo carboidratos, proteínas e gorduras. Também desempenha um papel importante na produção de glicose no sangue e ajuda a manter níveis saudáveis de açúcar. A Biotina ainda é capaz de reduzir o colesterol ruim, que quando muito alto pode resultar em doenças cardíacas graves.

Ela trabalha no nosso organismo como uma enzima, processando as gorduras, açúcares e carboidratos – gerando energia para o corpo e produzindo ácidos que mantêm a pele, a unha e os cabelos impecáveis!

DESVENDANDO A BIOTINA

Pele de Pêssego: Como ajuda no metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras, ela melhora a saúde da pele. Logo, a ausência de Biotina pode fazer com que a pele fique seca, escamosa e vermelha em volta da boca/nariz.

Unhas Saudáveis: Tem correlação com a produção de queratina, proteína que compõe as unhas. Desse modo, a falta de Biotina pode enfraquecer as unhas.

Cabelos Fortes: Aposte na falta de Biotina quando o seu cabelo começar a cair muito! Também por causa da produção de queratina, a saúde dos seus cabelos é otimizada pela vitamina.

O nosso corpo absorve apenas a quantidade necessária de Biotina por dia (os especialistas recomendam de 100 a 200 microgramas) e o resto é eliminado pela urina. Então, nada de excessos!

cabelo

Como citado, você pode encontrá-la em diversos alimentos – mais comuns na sua rotina do que imagina: Amendoim, Nozes, Tomate, Gema de Ovo, Leite, Frutas (principalmente laranja, melão, abacaxi, banana, morango, melancia e abacate), Carne de Boi, Soja, Aveia, Arroz Integral, são alguns exemplos. E mesmo após o cozimento, a Biotina permanece sem alterações.

Os sintomas da ausência desse nutriente são exatamente a fraqueza nas unhas, quedas de cabelo, calvície, pele seca e até conjuntivite, dermatite esfoliativa, dores musculares e aumento da glicemia (concentração de glicose no nosso sangue). Por isso, a Biotina é essencial para o bem-estar do nosso corpo, vinculada a alimentos saudáveis e o melhor, não causando o aumento de peso.

Boa dica! Não conhecia!



Vacinação de HPV foi sucesso na Escola Tempo Feliz e Colégio Dimensão!

DSC01787

A Equipe de Vigilância a Saúde de Jaguaquara, esteve presente nesta quarta-feira pela manhã,  na Escola Tempo Feliz e Colégio Dimensão, para por em prática a campanha de vacinação contra HPV tendo um ótimo aproveitamento.

DSC01788

Alguns momentos da vacinação!

 Parabéns a essa meninada linda, que deste cedo vem cuidando de sua saúde!

 

hpv_campanha_bg1

Expectativa é vacinar 4,94 milhões de meninas este ano no Brasil.

 



Estudo mostra a necessidade de sono de cada pessoa conforme sua idade!

Índice3

Como são suas noites de sono?

Você é do tipo que dorme bem e acorda disposto ou tem sempre a sensação de que deveria ter dormido por algumas horinhas a mais? Quantas horas, afinal, alguém precisa dormir para ter um dia produtivo?

Estamos acostumados a ouvir que o ideal é que uma pessoa durma oito horas por noite, não é mesmo? Mas será que essa é uma média de tempo válida tanto para adolescentes quanto para adultos? E idosos, devem dormir quanto tempo? A verdade é que cada faixa etária tem sua necessidade de descanso.

O Fast Company divulgou o resultado de um grande levantamento feito pela National Sleep Foundation, um centro de pesquisas voltado apenas a questões relacionadas ao sono. Ao todo, 18 cientistas e pesquisadores avaliaram os resultados de mais de 300 estudos já feitos na instituição com a intenção de descobrir qual é o tempo ideal de sono para pessoas de diferentes idades.

Índice

É a primeira vez que uma organização desenvolve esse estudo específico de sono com base nas necessidades de cada faixa etária. Quem precisa de mais horas de sono são os recém-nascidos de até três meses de idade, que devem dormir entre 14 e 17 horas por dia.

Adultos entre 26 e 64 anos devem dormir entre sete e nove horas por dia para evitar o cansaço excessivo e algumas doenças relacionadas com a privação do sono, como ansiedade, depressão, diabetes tipo 2 e até mesmo alguns tipos de câncer. Confira a seguir as recomendações específicas de horas de sono de acordo com a idade:

  • Recém-nascidos de até três meses: devem dormir entre 14 e 17 horas por dia;
  • Bebês de 4 a 11 meses: devem dormir de 12 a 15 horas por dia;
  • Bebês de um a dois anos: precisam dormir de 11 a 14 horas por dia;
  • Crianças de três a cinco anos: a recomendação é a de que durmam de 10 a 13 horas por dia;
  • Crianças de 6 a 13 anos: devem dormir de 9 a 11 horas por dia;
  • Adolescentes de 14 a 17 anos: precisam de 8 a 10 horas de sono por dia;
  • Jovens de 18 a 25 anos: o ideal é que durmam entre sete e nove horas por dia;
  • Adultos de 26 a 64 anos: também devem dormir entre sete e nove horas por dia;
  • Idosos acima dos 65 anos: precisam de sete a oito horas de sono por dia.

E aí, será que você tem dormido o suficiente?

Lembre-se que a qualidade do sono é vital para o bem-estar pessoal, a convivência familiar e a vida profissional. A pessoa adquire uma melhor performance em todos os aspectos da sua vida.

Provavelmente você precisa dormir mais do que imagina para ter aquele pique e usufruir bem o seu dia!



Vi Domingo na TV! Leiam o post! Muito bom!

tanquinho_img_principal_materia

Melhores e piores alimentos para o abdômen!

Soja, feijoada e pão branco estão entre os maiores vilões da barriga chapada!

Para quem quer ter um abdômen sequinho não basta apenas manter uma rotina de exercícios, é preciso ficar de olho naquilo que se come. Para você alcançar a barriga chapada, ou até aquele tanquinho desejado, a nutróloga maravilhosa do programa da Eliana,  Liliane Oppermann conta quais os melhores e piores alimentos para a região.

“Nós mulheres reclamamos muito da gordura e da celulite, mas ela é uma gordura que está ali quietinha e que só incomoda, já a visceral está relacionada ao ataque cardíaco, diabetes e uma série de problemas. Toda vez que envolve muita insulina ou algum distúrbio metabólico, o excesso de calorias, ou de sódio e de gordura faz com que a gordura se deposite principalmente intra-abdominal, que é a gordura visceral”, explica.

alimentos1_

5°: Pão branco

“O pão refinado não tem as fibras e os nutrientes que o 100% integral oferece. As fibras vão retardar que o açúcar do sangue chegue ao nosso cérebro, então quando comemos um pão branco ele chega muito rápido, dispara a insulina e na sequência temos fome de novo. Não é à toa que os restaurantes oferecem de entrada, se resolvesse a fome todo mundo parava por ali e não ia para o prato principal”, revela. Portanto, substitua sempre pela opção integral, mais saudável e que promove saciedade.

4°: Feijoada

Você não resiste a uma boa feijoada no final de semana? Se o seu sonho é definir a região abdominal, é melhor rever essa prática. “É um alimento muito consumido e muito apreciado, até é bem acessível, mas ele reúne tudo que é mais gorduroso. O feijão é cozido com muito óleo, temos o torresmo, todas as partes gordas do porco e até a couve é feita no óleo. Geralmente se come com excesso de arroz e até farofa e é um prato frequente na mesa dos brasileiros. Muita caloria de gordura saturada e a questão é diminuir a frequência e comer somente as partes menos gordas, como o paio”, indica.

3°: Doce de leite

“O doce de leite é o leite de forma concentrada, então a lactose, que é a proteína do leite, está concentrada e como se não bastasse é acrescido o açúcar refinado. Você tem a gordura do leite e é cheio de calorias”, alerta.

alimentos2

2°: Refrigerante

O refrigerante pode até parecer inocente, mas um único copo dificulta muito a busca pelo peso ideal: “Além do excesso de açúcar ele tem fatores antinutricionais, que são substâncias que atrapalham a absorção de nutrientes bons de outros alimentos. E como se não bastasse quem toma refrigerante não toma um copo, elas tomam meio litro, um litro e acompanham a refeição. Às vezes ele tem a mesma quantidade de calorias da refeição, então elimine”.

1°: Soja (fiquei impressionada! Nunca imaginava!)

“A questão é a forma como é apresentado e a quantidade que se consome. Que fique claro que é na versão transgênica e infelizmente é uma boa parte da que a gente consome. Pouco se sabe a longo prazo o que esses organismos modificados geneticamente podem causar, e não coincidente estão acontecendo muitos casos de obesidade, câncer e até transtornos de atenção em crianças. Não precisa excluir da sua vida, mas eu conheço mães que colocam o suquinho de soja, até dois, na lancheira da criança, macarrão instantâneo, cereais e uma série de produtos que têm sinais de soja. Se for ocasional não tem problema, mas duas ou três vezes ao dia é um problema”, adverte.



Bombou hoje na TV!

Remédios para emagrecer tiram o apetite e aumentam a saciedade!

Índice

Hoje, só há dois remédios aprovados no Brasil: a sibutramina e o orlistat. Vale lembrar que o excesso de peso e a obesidade são doenças.

Você deve conhecer alguém que já tomou remédio para emagrecer. Mas será que ele é bom? Muita gente critica, mas você sabia que algumas pessoas precisam tomar? Esses remédios podem controlar doenças graves como obesidade, diabetes e colesterol alto. O Bem Estar desta segunda-feira (9) deu dicas sobre o assunto, com a ajuda do psiquiatra e consultor Daniel Barros e o endocrinologista João Salles.

images

O endocrinologista e consultor do programa Alfredo Halpern lembra que excesso de peso e obesidade são doenças. “Obesidade, assim como outras doenças crônicas, exige que muitos pacientes tomem remédio para emagrecer. Isso porque o apetite é variável de pessoa para pessoa e muitos obesos têm apetite exagerado.”

Por isso, pessoas com compulsão ou fatores de risco associados à obesidade, como colesterol e diabetes podem precisar, a critério médico, de remédios para auxiliar no tratamento. Vale lembrar que ele não é solução, é uma ajuda. Medicamentos com sibutramina só podem ser tomados por quem tem IMC maior ou igual a 30 e por, no máximo, dois anos.

“Os remédios não são maus para todo mundo, nem bons para todo mundo. Pode funcionar para um e não funcionar para outro. Se um remédio para obesidade funcionar para 40%, 50% das pessoas, já está bom. O remédio deve funcionar desde o começo. Se no primeiro mês você não perder peso, não serve pra você”, alerta Halpern.

Hoje, só há dois remédios aprovados no Brasil: a sibutramina e o orlistat. O orlistat reduz a absorção de gordura em 30% e a elimina nas fezes, mas não deve ser usado por quem tem dificuldade para absorver nutrientes. A sibutramina age sobre a serotonina, dá a sensação de saciedade, mas seu uso foi restrito pela Anvisa pelo risco cardiovascular. A sibutramina não funciona para todo mundo. Cerca de 30% das pessoas respondem muito bem, 40% respondem razoavelmente bem, e 30% não respondem bem.

Vale lembrar que os remédios para emagrecer só devem ser vendidos com receita médica. O doutor Halpern deu outras dicas. “Só use remédios para emagrecer testados e aprovados; fuja de remédios não aprovados que prometem milagres; remédios para emagrecer não têm a mesma eficiência em todas as pessoas; e se o remédio não funcionar desde o começo, ele não serve para você.”

E você sabia que a comida vicia? Um estudo apontou que comidas que são rapidamente processadas e que aumentam rapidamente o índice glicêmico são as que mais viciam. Veja as principais: pizza, chocolate, salgadinhos, sorvete, batata frita, cheeseburger, refrigerante, bolo e queijo.

Querem mais? Acesse o site do programa! Muito interessante!

images

http://g1.globo.com/bemestar/index.html

 



Vacina Contra Hpv nas escolas particulares de Jaguaquara!

hpv

O Departamento de Vigilância a Saúde inicia campanha de vacinação contra o HPV, nas escolas particulares!

Meninas de 9 a 11 anos e mulheres com HIV de 9 a 26 anos devem se vacinar!

vacina

Será iniciado nesta terça (10), com meninas das escolas particulares, a campanha de vacinação contra o papilomavírus humano (HPV), aqui em Jaguaquara. Este ano, a oferta da vacina será ampliada para as meninas na faixa etária de 9 a 11 anos de idade.

Funcionários da Vigilância de nossa cidade, informa Escolas e as datas que estarão fazendo essa campanha! Vejam!

Colégio Monteiro Lobato – Dia 10/03 (terça)

Escola Tempo Feliz e Colégio Dimensão – Dia 11/03 (quarta)

Colégio Taylor Egídio – Dia 12/03 (quinta)

 

É muito importante o apoio das mães neste sentido! Mande o cartão de vacina de sua filha!

hpv_campanha_bg1
O câncer do colo do útero é o terceiro tipo que mais mata mulheres no país.

Qualquer dúvida pergunte a um agente de saúde!



A segurança da vacina contra HPV – Por Dr. Drauzio Varella! Vale a pena ler!

logo

O HPV (papilomavírus humano) é a doença sexualmente transmissível mais comum no mundo. Com mais de cem tipos de vírus,  estima-se que 50% da população sexualmente ativa já tenha sido infectada por algum tipo de HPV.  “É uma doença altamente infecciosa, até mais que o HIV. Para estar exposto aos vírus, não precisa necessariamente ter relação sexual com penetração. As pessoas virgens não estão necessariamente protegidas contra o HPV, pois ele pode ser transmitido por contato sexual, que envolve sexo oral e carícias”, explica o Secretário de Vigilância em Saúde Jarbas Barbosa.

Embora o preservativo ofereça proteção efetiva, é possível que a transmissão ocorra mesmo com seu uso, uma vez que o parceiro pode ter verrugas na parte externa dos genitais e na área com pelos, regiões que não são cobertas pela camisinha,  e acabar transmitindo o vírus. Mas esse fato não exclui o uso do preservativo, pois sem ele as pessoas ficam mais expostas ao HPV e a outras DSTs.

Como  a intenção de evitar futuras contaminações pelos vírus, (mais…)